Jul 23, 2006

from expats' info needs to IM in expat cycle

Submission of complete paper just finished. Expecting for the results. In the mean time, here's the extended abstract:

PS [06/Ago/2006] - The paper is online at the conference site or you can see it in here :-)

4 comments:

  1. Cara Monica,

    Estive a ler o seu paper que me interessou como expatriado. No entanto pergunto-me o que distigue a apresentacao deste seu estudo cientifico da apresentacao de uma simples opiniao. Para precisar o que digo tome por comparaco, por exemplo o paper: Money, Sex, and Happiness: An Empirical Study
    http://www.dartmouth.edu/~blnchflr/papers/sentScanJEsexmoneyhappinessjune2003.pdf.
    os autores apresentam as suas opinioes mas igualmente os factos brutos sobre os quais eles se basearam. Provalvelmente escamotearam alguns dados que poderiam contradizer as opinioes deles, ou excluiram ou nao fizeram correlacoes com variaveis que pudessem por em causa as opinioes que defendiam. Poderemos dizer que eles estao ali para vender o seu peixe e nao o da concorrencia, mas isso é esquecer que a ciencia é a busca da verdade; o resto é a busca do poder ou outro qulquer meritorio objectivo mas nao ciencia. No caso do paper que citei parece-me que eles procedem correctamente mas no seu caso devemos acreditar no que diz sem muitos dados onde nos apoiarmos. O erro infiltra-se em qualquer trabalho. Um dos objectivo da comunidade é poder facilmente detectar os erros e por isso exige transparencia e acesso a todas as informacoes relevantes. Um dos objectivos do autor de um paper é poder mostrar que chegou a um resultado relevante e nao errado. Muitos autores fazem-no escamoteando simplesmente o problema do erro, ou ocultando todas as possibilidades de testar a existencia de erro. E' uma estrategia infantil.

    Com estima,

    Eduardo

    ReplyDelete
  2. Caro Eduardo,

    Começo por agradecer os seus comentários, pois tirando as pessoas que leram a tese de mestrado e assistiram à sua defesa, poucas mais me ofereceram as suas opiniões sobre a investigação realizada.

    Na secção de metodologia e descrição do caso, forneço alguns dos elementos que permitem descrever a metodologia seguida e que lhe podem fornecer a resposta para a diferença entre uma opinião e um estudo de carácter científico. A diferença assenta nos métodos.

    O exemplo do artigo que aqui faz referência, dispôs de 25 páginas para poder explicitar o trabalho realizado. Na conferência a que tive oportunidade de submeter o artigo, os autores estão constrangidos à utilização de 5 páginas (incluindo referências bibliográficas e resumo), o que não me parece que permita comparar o tipo de dados de suporte que se podem incluir.

    Tal como mencionado no resumo alargado (link para o abstract), este artigo tem por base a investigação intitulado «Papel da informação no ciclo de expatriamento» e que se encontra na biblioteca do ISCTE.

    Os comentários que faz parecem-me ter sentido enquanto estímulo para vir a publicar um artigo mais extenso que permita mais incluir maior detalhe.

    Obrigada por todos os comentários,
    Mónica

    ReplyDelete
  3. Para quem tiver interesse, fica a referência completa do estudo que esteve na origem deste artigo, depositado na biblioteca do ISCTE:
    ANDRE, Mónica Mendes Pinheiro - Papel da informação no ciclo de expatriamento [Texto policopiado] / Mónica Mendes Pinheiro André ; orient. Maria Joaquina Barrulas ; co-orient. Pedro Faria Lopes. - Lisboa : [s.n.], 2004. - VII, 198 p. ; 30 cm
    Acesso directo ao registo no catálogo da biblioteca do ISCTE.

    ReplyDelete
  4. Full paper in ResearchGate:
    https://www.researchgate.net/publication/267623950_From_expatriates_information_needs_to_information_management_in_the_expatriation_cycle

    ReplyDelete